skip to Main Content

Elotech aplica cultura de organização de times do modelo Spotify

O modelo de times organizados em Tribos possibilita compartilhar desafios, soluções encontradas e ferramentas desenvolvidas para facilitar o trabalho entre as pessoas

Sua estratégia inovadora ganhou o nome de Modelo Spotify, e consiste em organizar times ágeis entre Tribos, Squads, Capítulos e Guildas.

A organização de times é uma preocupação constante de empresas de tecnologia, pois está diretamente ligada ao sucesso e ganho de escala de métodos ágeis, ou Agile. Estes métodos são conhecidos por potencializarem a confiança entre as equipes e a assertividade de projetos, reduzindo os riscos de falhas por má comunicação entre times e clientes.

Foi na intenção de escalar os métodos ágeis dentro do Spotify que a empresa investiu em gestão de múltiplos times que funcionassem trabalhando em conjunto. Sua estratégia inovadora ganhou o nome de Modelo Spotify, e consiste em organizar times ágeis entre Tribos, Squads, Capítulos e Guildas.

Inspirada nesse modelo para também escalar resultados, a Elotech, a maior empresa de software de gestão pública do Paraná, acaba de aplicar a cultura de organização em Tribos.

Como funciona a organização em Tribos e suas vantagens

A tendência de Tribos é cada vez mais adotada no mercado, pois é considerada o segredo do autogerenciamento de equipes ágeis. Além disso, ela viabiliza a evolução permanente dos produtos e do atendimento, principalmente quando se trata de atender às novas gerações.

A organização em Tribos é um agrupamento das chamadas Squadsou esquadrões. Uma Squad é a menor unidade de desenvolvimento, composta por um time de desenvolvedores e um Product Owner. Cada Squad é responsável por um desenvolvimento e a divisão varia entre empresas, podendo dedicar uma mesa Squad a diferentes partes de produtos ou apenas um produto por completo.

As Tribos nada mais são do que agrupamentos de Squads. Por exemplo, quando um produto possui 3 Squads dedicadas a desenvolver partes diferentes, faz sentido incluir as 3 em uma mesma Tribo.

As Tribos possuem os times de desenvolvimento, os Product Owners de suas respectivas Squads e um Team Leader, responsável por viabilizar o trabalho de todos da melhor forma possível.

Segundo Jefferson Bento, Team Leader de Arrecadação, antes da implantação da cultura de Tribos na Elotech, todos processos eram separados – o suporte ficava distante do desenvolvimento, quando falamos de cultura, visão e foco. Cada setor enxergava apenas a sua realidade, como consequência esse modelo de cultura causava um delay na entrega da solução ao cliente, pois sempre que o cliente demandava, a resposta dependia de uma série de agentes envolvidos no desafio.

Hoje além de todos trabalharem no mesmo ambiente, o Team Leader e o Coordenador de Suporte trabalham estrategicamente junto a todo time, pensando na melhor solução do desafio solicitado, utilizando da força de trabalho de cada área (suporte e desenvolvimento) de forma mais efetiva.

Ao aplicar essa metodologia o resultado foi nítido – a comunicação ficou mais clara e direta; as demandas urgentes chegam mais rapidamente para solução e na mesma logística uma resposta ao cliente. Conseguimos planejar melhor as implantações em novos clientes, fazer movimentos rápidos, colaboração entre colaboradores e entregas das demandas.

É válido ressaltar que as tribos agora possuem uma visão 360º das demandas. O time não fica sobrecarregado, possibilitando que os colaboradores compartilhem soluções e conhecimentos entre si.

Novos caminhos para o desenvolvimento de pessoas

A adoção da cultura de Tribos permite que os colaboradores conquistem mais liberdade para refletir sobre a carreira. Diante das organizações de equipes, cada pessoa pode aprender mais com colegas de diferentes posições e considerar outros estilos de liderança para a própria carreira, como Tech Lead e Team Leader.

Segundo Jefferson Bento, Team Leader de Arrecadação, o maior beneficiado é sempre o cliente, o fato de estarmos todos no mesmo espaço facilita muito a comunicação, com isso podemos atuar de forma mais direta e eficaz nos desafios e entregar soluções mais rápidas, utilizando todas os agentes da tribo, o time fica muito mais forte e assertivo.

Leandro Souza, COO da Elotech, acrescenta que o protagonismo de carreira será cada vez mais incentivado na Elotech e facilitado com a cultura de Tribos: “Existem perfis que querem gerir pessoas, e perfis que não. As pessoas mais técnicas, ou que querem seguir na carreira sem se tornarem líderes, poderão encontrar diversas opções de espaços que não envolvam a gestão de pessoas, evitando assim a frustração”, diz.

Fonte: Paranashop

Veja também:

NOTA INFORMATIVA Nº 013/2023

Boletim Político, Notas Informativas
Confira a Nota Informativa Nº 013/2023.
Continue lendo
Back To Top