skip to Main Content

Rio Grande do Sul, Goiás, Minas, Bahia e Paraná lideram em serviços públicos digitais

Os estados do Rio Grande do Sul, Goiás, Minas Gerais, Bahia e Paraná lideram a nova edição do “Índice Abep-Tic de oferta de serviços públicos digitais dos governos estaduais e distrital”, divulgada nesta semana pela Associação Brasileira de Entidades Estaduais de Tecnologia da Informação e Comunicação. Os cinco estados em destaque fazem parte das 17 unidades federativas já integradas ao GOV.BR, plataforma de relacionamento do governo brasileiro com o cidadão. O índice foi criado pela Abep-Tic com apoio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e visa o aprofundamento da transformação digital em todo o país.

Pelo segundo ano consecutivo, o Rio Grande do Sul foi classificado como líder do índice, o estado teve uma pontuação total de 142,50, obtida por meio da mensuração dos 35 critérios considerados na avaliação da edição 2022 do Índice. Na segunda posição ficou Goiás com 140,25 pontos e, na terceira, Minas Gerais, com 126,25. A quarta posição é dividida entre os estados da Bahia e Paraná, que computaram 124,75 pontos cada. Além disso, o estado do Rio de Janeiro recebeu o prêmio de maior variação nominal.

Na avaliação da Abep-Tic, que ocorreu entre abril e maio deste ano, foram considerados 35 critérios, como, por exemplo, se os principais serviços públicos dos governos são disponibilizados por meio digital e se a oferta de serviços tem considerado as melhores práticas em governo digital. Além disso, foram analisados também, em cada estado, serviços como utilização de assinaturas eletrônicas, existência de boletim de ocorrência on-line de violência doméstica ou contra a mulher, consulta on-line de medicamentos, solicitação e emissão on-line de diplomas do ensino médio e transferência on-line de alunos entre escolas da rede estadual.

“É um grande desafio liderar ações para a transformação digital e muito importante reconhecer o talento das pessoas que empreenderam nos estados”, ressalta o secretário de Governo Digital do Ministério da Economia, Fernando Coelho Mitkiewicz, que participou da cerimônia de premiação. “Essa iniciativa e a parceria com todos esses entes são bastante relevantes para realinhar esforços, verificar quais pontos precisam ser melhorados e seguir avançando ainda mais”, completou.

De acordo com o presidente do conselho da Abep-Tic e coordenador do estudo, Lutiano Silva, o índice é uma referência para os estados e um instrumento para direcionamento. “Temos ouvido sobre a importância desse Índice para criar uma esteira e jornada de transformação digital, pois, muitas vezes, o estado não sabe por onde começar e o índice é o grande norte neste processo”, acrescenta.

Atualmente, 16 estados e o Distrito Federal estão integrados ao GOV.BR, oferecendo ao cidadão acesso aos serviços da unidade federativa com login e senha únicos da plataforma para se identificar. É o caso do pagamento do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), que o cidadão pode utilizar, se o estado já tiver disponibilizado o serviço on-line para a população.

Já a rede formada pelo GOV.BR tem adesão de 24 das 27 unidades federativas do país, que podem utilizar, sem custos, soluções tecnológicas desenvolvidas pelo governo, além de trocar conhecimento sobre tecnologia e estratégias na digitalização de serviços públicos, acelerando a transformação digital da região.

* Com informações do ME e da Abep-TIC

Fonte: Convergência Digital

Veja também:

PL 2338/2023 – Inteligência Artificial | CTIA: Análise Novas Emendas

Comunicados do Presidente e Diretorias, Serviços
Foram apresentadas 6 novas emendas ao substitutivo do PL 2338/2023, no âmbito da Comissão Temporária Interna sobre Inteligência Artificial no Brasil.
Continue lendo

PLP 122/2022 – Preposto de MPEs para participação em audiências nos juizados especiais cíveis | CCJC: Apresentado Parecer + Pronto para Pauta

Comunicados do Presidente e Diretorias, Serviços
O deputado Ricardo Ayres (REP/TO) apresentou parecer favorável ao PLP 122/2022, na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.
Continue lendo
Back To Top