skip to Main Content

Paraná participa do Fórum Urbano Mundial da ONU

O Paraná realizou missão de estudos na província da Silésia, na Polônia, no escopo do Programa Internacional de Cooperação Urbana e Regional (IURC, em inglês), desenvolvido pela União Europeia (UE), em que busca de ampliar relações com o resto do mundo em regiões-foco de interesse: América do Sul e Caribe, América do Norte, Ásia e Oceania. O Brasil foi um dos países escolhidos na região e o Paraná foi o estado brasileiro selecionado para participar.

O IURC tem foco em projetos de desenvolvimento regional e sustentável. Na matriz desse programa, a região polonesa da Silésia foi escolhida como parceira do Paraná, onde busca a cooperação em temas relacionados à digitalização da economia e à sustentabilidade. A visita de estudos à Silésia faz parte da metodologia de abordagem do IURC e encerra o ciclo de estudos que se iniciou com a vinda de uma delegação daquela região a Curitiba, em março passado. A composição da agenda na Silésia considerou, além da missão de estudos, a participação no 11° Fórum Urbano Mundial, evento convocado pela ONU-Habitat, sendo a maior conferência global sobre o futuro das cidades.

A escolha do Paraná levou em consideração a similaridade entre as duas regiões e novas oportunidades de cooperação entre as instituições governamentais, empresariais, científicas, universidades, treinamentos e capacitações, conectando as delegações.

Além disso, vale ressaltar o forte interesse da construção de uma ponte com ecossistemas de inovação do estado do Paraná para replicar o acelerador da Brasileia, iniciativa de negócios para apoiar empresas inovadoras e empreendedores da Polônia e do Brasil em diversas indústrias.

O evento buscou a troca de conhecimento e informações e o estabelecimento de parcerias para futuros projetos com foco no desenvolvimento comum, tendo como parte na Agenda 2030.

Os responsáveis por representarem o Paraná nessa missão foram Izoulet Cortes Filho, diretor adjunto de Projetos e Negócios Internacionais da Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação no Paraná (Assespro-PR), e Felipe Braga, coordenador de Parceiras da Superintendência Geral de Desenvolvimento Econômico e Social do Paraná.

A viagem teve como intuito estudar e conhecer vários ambientes do ramo tecnológico com foco na economia e na sustentabilidade. “A região da Silésia, por exemplo, é fortemente industrializada, sendo a maior da Polônia, com várias empresas multinacionais, tornando um ambiente de negócios e tecnologia conectado com os demais e havendo investimentos pesados em automação”, destaca Izoulet.

A missão na Polônia foi dividida em duas partes: “Primeiro, visitamos vários ambientes no campo de tecnologia e de sustentabilidade, incluindo hubs de inovação de classe mundial, como o Cluster empresarial de TI e soluções aplicadas de identificação remota (RFID) e o Cluster de Aviação, relacionado entre os principais clusters europeus, além de visita a empresas de base tecnológica, aceleradoras de empresas e habitats de inovação, como o Parque Tecnológico de Gliwice. A segunda parte foi a participação no Fórum Urbano Mundial (WUF), o ONU Habitat, de onde pudemos voltar com uma bagagem enorme de diferentes perspectivas para o desenvolvimento das cidades, na visão humana, social, tecnológica, entre outras tantas”, completa.

No Fórum Urbano Mundial estiveram presentes representantes de 173 países apresentando as principais práticas globais em sustentabilidade, na perspectiva local de busca pela implementação da Agenda 2030, organizada pela ONU. Foi possível ver o estado da arte da implementação e dos resultados de melhores práticas para o desenvolvimento, incluindo a tecnologia e a inovação. Além de apresentar as “Soluções Paranaenses de Tecnologia para Cidades Inteligentes”, foi possível trazer uma série de novos conhecimentos, aprendizagem e oportunidades, inclusive em capacitação e formação de talentos, um dos focos e desafios do segmento de TI no Brasil. Há um grupo de pessoas envolvidas em ambos os lados buscando o estabelecimento de um acordo-quadro de cooperação e aperfeiçoando os temas de cooperação, em que TI, inovação e sustentabilidade estão no centro das oportunidades.

Por outro lado, segundo o representante da Assespro, o Paraná também é destaque em tecnologia e pode ser comparado aos padrões europeus. Dados indicam que 65% das novas profissões que estão surgindo estão ligadas à tecnologia. O estado é o quarto em quantidade de empresas de tecnologia em desenvolvimento de software no país e o sétimo em receita. Hoje, existem 22 mil vagas abertas para programadores no Paraná para essa área, especificamente na área base de Tecnologia da Informação.

AGENDA 2030 – A Agenda 2030 é um acordo assinado pelas Nações Unidas para guiar novas políticas públicas e o engajamento da sociedade, estimulando processos de governança sustentável e o estabelecimento de bancos de boas práticas entre os países. O acordo é composto por quatro partes: a primeira envolve a Visão e os Princípios, em que a Agenda é voltada para as Pessoas, o Planeta, a Prosperidade, a Paz e as Parcerias; a segunda é o Quadro de Resultados, no qual os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) são apresentados; a terceira trata dos Meios de Implementação; e a quarta de Acompanhamento e Revisão. A Agenda foi lançada na Assembleia Geral da ONU em setembro de 2015 e terá termo em 2030.

fonte: SOT

Veja também:

Dispensa eletrônica de licitações | Novo parâmetro de classificação de ramo de atividade

Comunicados do Presidente e Diretorias, Serviços
Destacamos a publicação, no Diário Oficial da União da Instrução Normativa SEGES/MGI nº 8, de 23 de março de 2023 que altera a Instrução Normativa SEGES/ME nº 67, de 8 de julho de 2021.
Continue lendo
Back To Top