skip to Main Content

Mercado de tecnologia oferece vagas, mas tem dificuldades em preenchê-las

Mesmo com muitas oportunidades em aberto, é cada vez mais difícil para as empresas do setor encontrar profissionais qualificados e que busquem crescimento.

Até 2025 o Brasil terá uma demanda perto de 800 mil novos talentos na área de desenvolvimento, programação e suporte.

Pode parecer estranha a afirmação diante do atual cenário do mercado de trabalho no Brasil, mas existem áreas com mais vagas disponíveis do que profissionais capacitados para as preencher.

É o que tem acontecido no segmento de tecnologia. Com o boom e o aquecimento ocorrido nos últimos anos e, especialmente, acelerado durante a pandemia da Covid-19, já que a necessidade de soluções tecnológicas em diversos nichos demandou o aumento da mão de obra, ocorreu a defasagem entre o crescimento na oferta de vagas e o número de profissionais preparados no mercado.

Simone Borges, coordenadora de RH na ACOM Sistemas, empresa de tecnologia que desenvolve Sistemas de Gestão Integrada para o ramo do Food Service, tem observado diariamente no perfil de candidatos que avalia para a empresa algumas características que chamam a atenção e dão indícios de como anda o mercado.

                                                                                                                  Simone Borges, coordenadora de RH na ACOM Sistemas

“É interessante notar no currículo da maior parte dos candidatos uma característica muito peculiar: a grande maioria deles fica em média seis meses em uma empresa. A migração é muito grande e isso nos alertou a entender os porquês”, diz.

Um levantamento feito pela Brasscom, a Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e de Tecnologias Digitais, estima que até 2025 o Brasil tenha uma demanda perto de 800 mil novos talentos na área de desenvolvimento, programação e suporte, o que aumentará ainda mais a dificuldade em encontrar profissionais altamente capacitados.

PERFIL

A coordenadora explica que a volatilidade do mercado foi amplificada na pandemia pelo aquecimento do segmento de tecnologia e aumento das demandas de soluções inteligentes.

Como as oportunidades foram crescendo, a busca por candidatos mais qualificados aumentou as disputas entre as empresas, o que levou à adoção de novas estratégias, seja na procura e até mesmo, na formação de profissionais que se adequassem às políticas da empresa.

Segundo análise dos inúmeros perfis que chegam diariamente para concorrer às vagas da ACOM Sistemas e após conversar com tantos candidatos, foi observado dois pontos quase unânimes, que justificam o porquê candidatos acabam trocando tanto de empresas em tão pouco tempo.

O primeiro deles, é claro, é a remuneração, já que muitos profissionais buscam e olham as oportunidades apenas com foco em maiores salários, e não levam em consideração fatores como desenvolvimento de carreira.

A busca pelo home office ou jornada híbrida, também tem sido uma requisição comum, e as vagas que oferecem apenas a possibilidade de trabalho onsite são preteridas. Simone cita que é comum ouvir nas entrevistas que candidatos estão abandonando empresas que exijam o trabalho presencial, já que o home office permite mais economia, pois não há gastos com alimentação em restaurantes e o tempo é mais bem aproveitado, porque não há a necessidade de deslocamento, por exemplo.

ADEQUAÇÃO AO CENÁRIO

A ACOM Sistemas teve um ótimo crescimento nos últimos anos, o que levou a aumentar significativamente o número de colaboradores e, assim, entender o que pode ser feito para que esse crescimento seja sustentável e constante.

Uma das medidas foi, justamente, apoiar o desenvolvimento propondo capacitações e abrindo oportunidades para o crescimento dentro da própria empresa, o que de certa forma mostra o interesse em manter esse funcionário dentro do ecossistema da organização por mais tempo.

Assim como grande parte das empresas, a flexibilização para o home office e jornada híbrida também foi outra medida adotada. Na contramão de muitas delas, que têm obrigado os funcionários a voltarem para o presencial, a ACOM Sistemas tem investido para deixar os funcionários no home office. Isso ampliou o leque de possibilidades de funcionários que podem estar em qualquer lugar do Brasil. No futuro, a empresa pensa em expandir essa procura para outros países também.

“Hoje, o nosso processo de contratação está bem robusto e mesmo com a dificuldade de encontrar profissionais, conseguimos tornar a ACOM um lugar muito atrativo para o desenvolvimento de carreira”, explica Simone Borges.

Rubens Oliveira, CEO da Roadmap, empresa especializada em assessoria financeira para bares e restaurantes, com foco na implantação de sistema e terceirização de rotinas administrativas e parceira da ACOM Sistemas em vários projetos, também vê o cenário de busca de profissionais qualificados cada vez mais desafiador.

                                                                                                                                     Rubens Oliveira, CEO da Roadmap

Ele diz que, na Roadmap, a busca é sempre focada em profissionais que demonstrem interesse em crescer junto com a empresa e sejam interessados em ter em várias plataformas, a partir de conhecimentos multidisciplinares que os inseriram dentro do organismo da Roadmap, que oferece esse espaço para os profissionais.

Isso tem ajudado a empresa a entender o perfil do profissional que busca no mercado e, como citado por Simone Borges, evitar a contratação de profissionais que queiram apenas “surfar a onda” das oportunidades.

“Quando buscamos um profissional, queremos aquelas pessoas proativas, perspicazes e que estejam abertas a novos desafios. Mais do que um conhecimento técnico engessado, a vontade de absorver novidades é fundamental”, diz o CEO.

Acesse:

https://acomsistemas.com.br/

www.roadmapassessoria.com.br

Veja também:

NOTA INFORMATIVA Nº 186/2022

Boletim Político, Notas Informativas
Confira a Nota Informativa Nº 186/2022
Continue lendo
Back To Top