skip to Main Content

Fomento Paraná e BRDE integram nova diretoria da Associação Brasileira de Desenvolvimento

Heraldo Neves, diretor-presidente da Fomento Paraná, é vice-presidente, e Wilson Bley Lipski, presidente do BRDE, ocupa uma das diretorias. A associação é responsável pelo Sistema Nacional de Fomento, que registrou mais de R$ 5 trilhões em ativos até o terceiro trimestre de 2022.

A Associação Brasileira de Desenvolvimento (ABDE), que reúne 34 instituições financeiras de desenvolvimento (IFDs) no País, elegeu a nova diretoria. O presidente da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), Celso Pansera, é o novo presidente da entidade, eleito em chapa única por aclamação. José Luis Gordon, diretor de Desenvolvimento Produtivo, Inovação e Comércio Exterior do BNDES, e Heraldo Neves, diretor-presidente da Fomento Paraná, são os dois novos vice-presidentes.

Pansera é ex-ministro de Ciência e Tecnologia. Ele terá mandato de dois anos no novo posto e ocupará o lugar de Jeanette Lontra, presidente do Badesul Desenvolvimento e primeira mulher a comandar a associação.

A diretoria eleita também é composta por representantes de outras sete instituições: Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Cresol, Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes), Agência de Fomento do Rio Grande do Norte (AGN) e Banpará.

Heraldo Neves, diretor-presidente da Fomento Paraná, disse que com a nova diretoria a expectativa é que o Sistema Nacional de Fomento (SNF) possa continuar priorizando a Agenda 2030, colocando o crédito como instrumento importante para a inovação, descarbonização da economia e inclusão produtiva.

“Tenho também expectativa de que os grandes bancos, como o BNDES, CEF e BB, principalmente, possam aproveitar a capilaridade dos associados da ABDE e compartilhar mais recursos e riscos para aumentar a disponibilidade de crédito orientado e de longo prazo para financiamento das atividades econômicas, principalmente as micro, pequenas e médias empresas”, afirmou Neves.

Wilson Bley Lipski, presidente do BRDE e também ocupante de uma das diretorias da ABDE, disse que o BRDE fortalece sua parceria com a ABDE. “Ao integrar essa nova diretoria, vamos valorizar nosso papel por meio da diretriz de desenvolvimento social e econômico da região Sul, tornando o crédito um instrumento para realizar projetos de vida”, completou.

REPRESENTAÇÃO – Com ações focadas no Plano ABDE 2030 de Desenvolvimento Sustentável, a associação é responsável pelo SNF, que registrou mais de R$ 5 trilhões em ativos até o terceiro trimestre de 2022. O SNF responde por 94% da carteira de crédito para o financiamento ao setor público, 86% da carteira de crédito para investimentos em infraestrutura e 81% do crédito rural brasileiro.

De acordo com a associação, as micro e pequenas empresas foram as que mais realizaram operações. O Pronampe, programa de crédito lançado em meio à pandemia com avais da União, foi o carro-chefe dos empréstimos.

Ao todo, segundo o levantamento da ABDE, as micro e pequenas empresas contrataram R$ 108 bilhões em mais de 1,4 milhões de operações no País, até março de 2023, conforme dados mais recentes.

O Sistema Nacional de Fomento, de acordo com a entidade, foi responsável por 78,7% do valor contratado, o equivalente a R$ 85,1 bilhões. No total, 524,4 mil microempresas foram beneficiadas com R$ 26,1 bilhões; e 544,5 mil pequenas empresas, com R$ 81,5 bilhões. Elas absorveram 24% e 75% dos recursos do programa, respectivamente. O restante ficou com microempreendedores e profissionais liberais.

Fonte: Agência Estadual de Notícias

Veja também:

Back To Top