skip to Main Content

Febraban: bancos vão investir mais de R$ 47 bilhões em tecnologia, incluindo IA e Drex

Os bancos brasileiros reconhecem a necessidade de investimentos em tecnologia e, segundo uma pesquisa divulgada nesta semana pela Federação Brasileira de Bancos, a Febraban, serão R$ 47,4 bilhões investidos na área em 2024. O aporte é consideravelmente maior do que o valor do ano passado e tem IA Drex como pontos destacados.

Investimentos em tecnologia

A Pesquisa de Tecnologia Bancária, realizada pela consultora Deloitte para a Febraban, mostra que os investimentos em tecnologia por parte dos bancos dobrou nos últimos oito anos. Por exemplo, foram R$ 19,1 bilhões investidos em 2015. Em 2023, o valor foi de R$ 39 bilhões.

Segundo o site Exame, a tendência é que os aportes continuem crescendo nos próximos anos.

Vale lembrar que os investimentos incluem investimentos efetivos, mas também as despesas das áreas.

Prioridades de investimento, IA e Drex

  • Em relação à prioridade de investimentos no setor da tecnologia, 100% dos bancos participantes mencionaram a área de cloud (computação em nuvem) e cibersegurança;
  • 95% mencionou IA; 54% mencionou o Drex, a moeda digital brasileira, e blockchain; e 11%, computação quântica;
  • Outras áreas dentro da tecnologia que devem ganhar a atenção das instituições são experiência do cliente (83%), inovações tecnologias (71%); personalização de produtos e serviços (63%); segurança e privacidade (58%); e responsabilidade social e sustentabilidade (54% cada).

Drex e IA

Drex e IA foram alguns dos pontos de destaque da pesquisa.

Dos entrevistados, 54% já usa IA generativa nas atividades, com um ganho médio de eficiência de 11%. Entre as principais aplicações, estão biometria (75%) e chatbots (71%).

Já o investimento no Drex tem a ver com a infraestrutura necessária para viabilizar e garanti a segurança da moeda digital.

As instituições destacaram que o foco de investimentos está centrado em arquitetura, infraestrutura e ferramentas especializadas em estratégias para detecção e resposta a ameaças cibernéticas, gestão de identidades e acessos, treinamento e conscientização dos colaboradores, cloud security, testes de invasão e criptografia dos dados e informações. Febraban

Fonte: Olhar Digital

Veja também:

Back To Top